Juízo Final Blog

Crise Mundial: Agora é certa a falência dos EUA

Posted in Crise, Fim do Dólar, Nova Ordem Mundial by Blog Juízo Final on 07/02/2010

Porter Stansberry
Silverbearcafe
Quinta-feira, fevereiro 4, 2010

É um daqueles números que é tão inacreditável que você realmente tem que pensar nisso por enquanto … Dentro dos próximos 12 meses, o Tesouro EUA terão de refinanciar US$ 2 trilhões em dívida de curto prazo. E isso sem contar as despesas adicionais do défict, que é estimada em cerca de US$ 1,5 trilhão. Coloque os dois números juntos. Então pergunte a si mesmo, como no mundo pode emprestar ao Tesouro US$ 3,5 trilhões em apenas um ano? Isso é um montante equivalente a quase 30% do nosso PIB inteiro. E nós somos a maior economia do mundo. Onde vai o dinheiro?

Como é que vamos acabar com tanta dívida de curto prazo? Como a maioria das entidades que têm uma dívida muito grande – se os devedores do subprime, GM, Fannie, ou GE – O Tesouro EUA tentou minimizar sua carga de juros em empréstimos para curtos períodos de tempo e então “rolar” os empréstimos quando eles vencem. Como dizem em Wall Street “, uma dívida rolando recolhe nenhum musgo.” O que eles querem dizer é, contanto que você pode estender a dívida, você não tem nenhum problema. Infelizmente, o que leva pessoas a tomar em quantidades cada vez maiores da dívida … na durações cada vez mais curtos … em vez menores taxas de juros. Mais cedo ou mais tarde, os credores acordarão e se perguntarão: Quais são as chances que eu tenho de realmente ser restituído? E é aí que começa o problema. As taxas de juros sobem drasticamente. Custos de financiamento sobem. A festa acabou. Falência é a próxima.

Quando os governos vão à falência é chamado de “um padrão.” Especuladores de moeda corrente descobriram como prever exatamente quando um país será padrão. Dois economistas conhecidos – Alan Greenspan e Pablo Guidotti – publicaram a fórmula secreta em um trabalho acadêmico 1999. É por isso que a fórmula é chamada regra Guidotti-Greenspan. A regra estabelece: Para evitar um padrão, os países devem manter reservas em divisas pelo menos igual a 100% dos seus vencimentos a curto prazo da dívida externa. A empresa mundial de gestão do dinheiro, PIMCO, explica a regra da seguinte forma: “O valor de referência mínimo de reserva equivalente a pelo menos 100% da dívida externa de curto prazo é conhecida como regra Guidotti-Greenspan. Greenspan-Guidotti é talvez o único conceito de adequação de reserva que tem a maioria dos adeptos e suporte empírico.

O princípio subjacente a esta regra é simples. Se você não consegue saldar todas as suas dívidas externas nos próximos 12 meses, você é um risco terrível de crédito. Os especuladores irão segmentar os seus títulos e sua moeda, o que torna impossível para refinanciar suas dívidas. Um padrão é garantida.

Assim como o posto na América Greenspan escala Guidotti? É um padrão garantido. Os EUA detém ouro, petróleo e moeda estrangeira na sua reserva. Os EUA tem 8.133,5 toneladas de ouro (é o maior detentor do mundo). That’s £ 16.267.000. Em valores correntes em dólares, vale cerca de US$ 300 bilhões. Os EUA tem reserva estratégica de petróleo e mostra uma posição total atual de 725 milhões de barris. A preços correntes, que é aproximadamente US$ 58 bilhões no valor do petróleo. E de acordo com o FMI, os EUA tem US$ 136 bilhões em reservas de moeda estrangeira. Então, completamente … que é cerca de US $ 500 bilhões de reservas. Nossa dívida de curto prazo estrangeiros são muito maiores.

De acordo com o Tesouro dos EUA, valendo US$ 2 trilhões em dívida com vencimento nos próximos 12 meses. Então, olhando apenas a dívida de curto prazo, sabemos que o Tesouro terá de financiar pelo menos US $ 2 trilhões em dívida com vencimento nos próximos 12 meses. Isso não pode causar uma crise se ainda estivéssemos financiamento nossa dívida pública interna. Mas, desde 1985, temos um saldo devedor líquido com o mundo. Hoje, estrangeiros são donos de 44% de todas as nossas dívidas, o que significa que devemos credores estrangeiros, pelo menos, US$ 880 bilhões nos próximos 12 meses – uma quantidade muito maior que nossas reservas.

Tenha em mente, este só cobre as nossas dívidas existentes. O Escritório de Administração e Orçamento está prevendo um déficit orçamentário de US $ 1,5 trilhões durante o próximo ano. Isso coloca as nossas necessidades de financiamento total da ordem de US $ 3,5 trilhão nos próximos 12 meses.

Então … de onde vai vir o dinheiro? Total de poupança doméstica nos EUA são apenas cerca de US$ 600 bilhões anualmente. Mesmo se todos nós colocar-mos cada centavo das nossas economias em dívida do Tesouro EUA, ainda estaremos chegando a quase US$ 3 trilhões curto. Isso é um requisito de financiamento anual equivalente a cerca de 40% do PIB. Onde está o dinheiro que vai vir? De nossos credores estrangeiros? Não de acordo com Guidotti-Greenspan. E não de acordo com o índio ou o banco central russo, que parou de comprar títulos do Tesouro e começaram a comprar grandes quantidades de ouro. Os índios compraram 200 toneladas neste mês. Fontes dizem que na Rússia, o Banco Central não vai dobrar suas reservas de ouro.

Então, para onde vai o dinheiro? A imprensa. O Federal Reserve já monetizadas quase US $ 2 trilhões em dívida do Tesouro e dívida hipotecária. Isto enfraquece o valor do dólar e desvaloriza os nossos laços existentes Tesouro. Mais cedo ou mais tarde, os nossos credores terão de enfrentar uma escolha difícil: manter os nossos laços e continuar a ver o valor diminui lentamente, ou tentar escapar ao ouro e ver o valor de suas ligações EUA despencar.

Uma coisa que eles não vão fazer é comprar mais da nossa dívida. Quais os próximos bancos centrais que vão abandonar o dólar? Brasil, Coréia e Chile. Estes são os três maiores bancos centrais que possuem a menor quantidade de ouro. Nenhum tem nem 1% do total de suas reservas em ouro.

Eu examinei essas questões com muito mais detalhes na edição mais recente do meu boletim, Investimento Porter Stansberry Assessor, que publicou sexta-feira passada. Coincidentemente, o New York Times repetiu nossos avisos – quase palavra por palavra – no seu papel hoje. (Não mencionou Guidotti-Greenspan, entretanto … É um verdadeiro segredo dos especuladores internacionais.)

Fonte: Prision Planet

Manifestação do Anticristo: Príncipe William realiza cerimônia do fumo em busca do poder de Baha’u’llah

Posted in Anticristo, Nova Ordem Mundial by Blog Juízo Final on 04/02/2010

Publicado em janeiro 28, 2010 por apocalipsetotal

Resumo da notícia:

Príncipe William recebido em bairro aborígene de Sydney – (AFP) – 19 de Jan de 2010

SYDNEY — O príncipe William da Inglaterra iniciou nesta terça-feira uma viagem particular de três dias a Austrália, onde foi recebido com entusiasmo num bairro aborígene da cidade de Sydney.

Cerca de 2.000 pessoas se reuniram no humilde bairro de Redfern para receber William, de 27 anos e segundo na linha de sucessão ao trono britânico.

Chefe tribais usando trajes típicos deram as boas-vindas ao príncipe, presenteado com uma tradicional ‘cerimônia do fumo’.

“Estamos felizes porque ele veio a este canto da cidade para passar alguns momentos conosco”, explicou Lewis Kelly, descendente de aborígenes australianos, históricamente marginalizados. “Ele nos surpreendeu ao dizer que vinha aqui ver o povo indígena, os verdadeiros australianos”, acrescentou.

William chegou à Austrália vindo da Nova Zelândia, onde, na véspera, foi aclamado por vários milhares de pessoas, em sua primeira visita oficial ao exterior representando sua avó, a rainha Elizabeth II.

A decisão de enviar William, ao invés do pai, o príncipe Charles, a Nova Zelândia levou a imprensa britânica a especular que ele poderia superá-lo na linha de sucessão.

Comentário:

Como sabemos, o profeta Daniel  escreveu que o Anticristo será auxiliado por um deus estranho:

Com o auxílio de um deus estranho agirá contra as poderosas fortalezas; aos que o reconhecerem multiplicará a honra, e os fará reinar sobre muitos, e repartirá a terra por preço. (Daniel 11 : 39)

O Tabaco Xamânicon  já serve para William, um dos candidatos ao cargo de executivo mundial de Baha’u’llah,  ir canalizando essa conexão mental com o seu deus. Ele  é usado para fazer oferenda aos guardiões (demônios que habitam nas religiões celestiais do mal) e principalmente ao Grande Mistério ( o prometido –  o senhor das religiões ) como ele mesmo assevera em suas palavras abaixo:.

VI. “Vede como os diversos povos e raças da terra têm esperado a vinda do Prometido (..)  Julgando pela excelência de tão grande Revelação, pode-se bem imaginar a honra da qual os seguidores fiéis haverão de ser investidos…. “ (Seleção dos escritos de Baha’u’llah).

Referência: http://www.xamanismo.com.br/Voo/SubVoo1199053523It003

Fonte: Apocalipse Total

Crise Mundial: Valorização do Ouro, até aonde irá a farsa?

Posted in Crise, Fim do Dólar, Nova Ordem Mundial by Blog Juízo Final on 04/02/2010

Não apenas eu fiz um balanço ao final do ano, como pode ser lido no último Comentário do Mercado, mas muitos outros analistas também o fizeram. Eles até fecharam o balanço dos últimos dez anos, de 2000 até 2009. Eles compararam os desempenhos de diferentes tipos de aplicação como ações ou ouro. Resumindo, nada se pôde ganhar com as ações a longo prazo nos últimos dez anos, a não ser que se especule no curto prazo aproveitando-se das oscilações da bolsa. Os grandes índices como o DOW ou o DAX situam-se apesar de toda a ajuda dos governos e dos bancos centrais, em comparação com 2000, um pouco abaixo, o NASDAQ mais baixo ainda, o “novo mercado” não existe mais. E não esquecer: os valores das ações, medidos na mesma cotação nominal de bens reais, eles estão talvez a 35 por cento dos valores de 2000 – a inflação.

 

Mais interessante é a relação DOW-Ouro. Ela situou-se – no ponto alto do ciclo de Kondratieff – em cerca de 44 onça de ouro para cada dólar. Hoje estamos com a relação de 9,3 : 1. Ian Gordon é da opinião que esta relação será no atual inverno de Kondratieff, algo em torno de 1 : 4. Então nós teríamos um aumento do ouro cerca de 37 vezes frente às grandes ações. Em relação às pequenas ações ou coisas sem liquidez como empresas ou imóveis, a situação será ainda mais drástica – assim que não haver mais crédito para as compras.

 

De 44:1 até 1:4 é uma relação de 1:176, onde o ouro subirá em relação às ações, ou ao contrário, as ações poderiam cair para 1/176 do valor do ouro, seja como for então onde esta relação se situe, a hiperinflação está diante de nós.

.

 

A década dourada I


Abaixo o desempenho do dólar x ouro na última década (autoria de Bill Buckler, investidor):

 

2001, 273 dólar/onça para 279 dólar – Aumento de 2,20%
2002, 279 dólar/onça para 348 dólar – Aumento de 24,73%
2003, 348 dólar/onça para 416 dólar – Aumento de 19,54%
2004, 416 dólar/onça para 438 dólar – Aumento de 5,29%
2005, 438 dólar/onça para 518 dólar – Aumento de 18,26%
2006, 518 dólar/onça para 638 dólar – Aumento de 23,17%
2007, 638 dólar/onça para 838 dólar – Aumento de 31,35%
2008, 838 dólar/onça para 884 dólar – Aumento de 5,49%
2009, 884 dólar/onça para 1.096 dólar – Aumento de 23,98%

 

Ou seja, a cada ano um lucro freqüentemente acima de 20% como em 2009. Em Euro foi um pouco menos, pois o Euro se apresentou um tanto mais forte que o dólar. Em 2009 foi 24%, a prata 57% em relação ao dólar, 53% em relação ao Euro.

 

O desempenho do Real frente ao Dólar na última década:

 

2001, dólar a 1,947 para dólar a 2,375 – desvalorização de 21,98%
2002, dólar a 2,375 para dólar a 3,330 – desvalorização de 40,21%
2003, dólar a 3,330 para dólar a 2,815 – valorização de 15,47%
2004, dólar a 2,815 para dólar a 2,702 – valorização de 4,01%
2005, dólar a 2,702 para dólar a 2,276 – valorização de 15,77%
2006, dólar a 2,276 para dólar a 2,143 – valorização de 5,84%
2007, dólar a 2,143 para dólar a 1,753 – valorização de 18,20%
2008, dólar a 1,753 para dólar a 2,380 – desvalorização de 35,77%
2009, dólar a 2,380 para dólar a 1,730 – valorização de 27,31%

 

Ao longo da década, o Real se desvalorizou cerca de 11% em relação ao dólar. Neste período, a inflação acumulada em Real foi cerca de 65% e em dólar algo em torno de 22%. Já o Ouro se valorizou cerca de 400% em relação ao dólar – NR.

.

 

A década dourada II

 

A próxima década, de 2010 até 2019 será ainda mais dourada, pois nos próximos anos, talvez já em 2010, quase todos os países e suas moedas irão à falência. Então nós podemos apreciar o preço do ouro e da prata, a um patamar que a maioria nem ousa sonhar. Pois a massa irá a todo custo para este metal precioso com a finalidade de salvar seu patrimônio da hiperinflação e quebras dos bancos e países.

 

Mas isso não irá durar toda a década, por isso em algum momento chegará a época de investir em ações, empresas, imóveis, que estarão super baratos. Como hoje em dia, em Detroit, pode-se comprar uma casa intacta por uma onça de ouro (31 grama ou 1.100 dólares), tal situação será vista por toda parte. Crédito não existirá por alguns anos, e se ele estiver disponível, os juros e amortizações deverão ser pagos em ouro – um novo padrão-ouro aparecerá.

.

 

ATÉ AONDE IRÁ A FARSA?

.

 

“DER AKTIONÄR entrevistou Walter K. Eichelburg, o responsável pela maior página sobre ouro em língua alemã – http://www.hartgeld.com – sobre a momentânea corrida ao ouro. Segundo ele, temos diante de nós tempos difíceis – certamente somente para os aplicadores que não se decidiram pelo ouro.

 

Herr Eichelburg, o preço do ouro registra no momento um aumento atrás do outro. Quais são os fatores que impulsionam o mercado do ouro?

 

Walter K. Eichelburg: O fator primário é a enorme impressão de dinheiro pelos bancos centrais mundo afora. Os “falsificadores legais” estão trabalhando nisso. Com isso eles querem superar a crise econômica, porém, com tal atitude acabam provocando a hiperinflação. Não é surpresa alguma se o Smart Money e agora também o Big Money se refugiam no ouro para se salvar.

 

Como você vê o desenvolvimento futuro do preço do ouro a curto prazo e nos próximos anos?

 

A curto prazo, nós teremos ainda este ano o ouro sendo cotado pelo menos a 1.300 dólares a onça. Sendo assim, os Bancos Centrais terão que subir seus juros, e ai sim a crise econômica vai pegar fogo. Então aumentará a fuga para o ouro. Até o ponto mais baixo da crise, provavelmente em 2012, o preço do ouro deverá aumentar no mínimo até 50.000 dólares a onça, alguns dizem até 200.000 dólares. O euro então não existirá mais.

 

Em sua opinião, qual efeito terá sobre o ouro a procura dos investidores e dos bancos?

 

O dólar está em liquidação, em algum momento os bancos centrais juntamente com o resto de seu rebanho irá querer fugir do dólar e outras moedas. Pequenas demandas não influenciarão muito o ouro; mas sim a procura por investimento. Ouro tornar-se-á novamente dinheiro – como era antigamente, prata também.

 

Tradicionalmente, ouro vale como garantia contra a inflação. Atualmente podemos até reconhecer tendências deflacionárias. Como você vê o desenvolvimento subseqüente sobre o preço do ouro?

Ouro não é por assim dizer uma formidável proteção contra a inflação, mas é um escudo contra a bancarrota do sistema econômico. Numa deflação realmente pesada, onde os bancos quebram no atacado, o ouro tem melhor desempenho do que numa situação típica de inflação. Uma coisa é certa, quando iniciar para valer a fuga dos valores financeiros e monetários, então não explodirá somente o preço do ouro, mas também o preço de todos os bens essenciais como energia e alimentos. Isso se chama hiperinflação e será vista em todos os países como uma crise econômica.

 

Nota-se que nos últimos tempos o preço da prata não consegue competir com o desempenho do ouro. Como você explica isso?

 

A Prata é vista no momento mais como matéria-prima da indústria do que como dinheiro. Mas a prata subirá violentamente, pois quando a massa procurar ouro por toda parte, ela não conseguirá mais obtê-lo e restará somente prata.

 

Como você vê o desenvolvimento do preço da prata em comparação com o ouro?

 

No momento nós temos uma relação ouro/prata de 63:1. A longo prazo, esta relação foi de 15:1. Quando o run de ouro e prata se iniciar, a prata subirá violentamente, eu espero, sendo bem conservador, algo em torno de 10:1. Isso quer dizer, prata se desenvolverá seis vezes melhor do que ouro. No pior momento da crise, podemos esperar que a onça de ouro (31,1g) corresponda ao salário anual da camada pobre da população, a onça da prata ao salário mensal.

 

O que você sugere aos investidores na atual situação?

 

Ouro e prata estão ainda baratos – mesmo em 1.132 dólares a onça do ouro. Ouro subirá acima das atuais aplicações financeiras como ações e imóveis, mais que 50… 200 vezes. Pois estas aplicações financeiras estão ainda muito sobrevalorizadas. Os bancos centrais tentam manter isso com dinheiro barato, mas eles irão perder. Por isso todos os investidores deverão deixar estes papéis e procuram refúgio nos botes salva-vidas. Os botes primários são o ouro e prata, mas também terras agrícolas – para se alimentar – ou florestas – para se aquecer – poderão ser interessantes. Ainda existem botes salva-vidas a um bom preço.

 

Fonte: Inacreditável